quinta-feira, abril 09, 2009

Canto

Nunca fui capaz
de escrever canções
que pudesse cantar.

Sobraram-me estes versos
de ritmo caduco,
voz de chuva,
de cão, casa queimada
ao rés do chão.

E se pudesse a raiva ter voz,
ou a calma,
alguns pecados ganhariam
perdão.

(estrago, então, minha voz
com cigarros, cerveja,
cachaça.
Coleciono calos,
calafrios
- desato a corda e
me afasto do cais)

Um comentário:

Amanda Ferreira disse...

o pior é que sem voz, raiva e calma, o perdão fica entalado na garganta. e a gente então reza pro dia em que o outro ouvir...

(caduco o ritmo? sabia não, é bonito mesmo assim)

beijos