quarta-feira, abril 11, 2007

o susto

Quanto mais conheço as pessoas, menor é a sensação de saber do mundo. O que poderia virar desespero na verdade vira lição de humildade. Me coloco numa posição de questionar e observar, esperando que algo dê um sinal, que um farol se acenda no horizonte, ou qualquer gota de iluminação me atinja a testa. Mas ainda sim fica o gosto do desentendimento, o medo do não saber o que esperar, o receio da surpresa. E a esperança que essa surpresa se torne, algumas vezes, maravilhamento.

Um comentário:

Camila disse...

maravilhamento... minhas surpresas tão passando longe disso... aliás, eu até queria parar um pouco com elas, um pouco menos de inconstância é bom às vezes, pra variar.